Exigências Proteicas para bovinos de corte.

Authors

  • Tiago Pereira Guimarães Instituto Federal Goiano

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i1.43

Abstract

Objetivou-se com esta revisão realizar uma discussão sobre as exigências proteicas para bovinos de corte em condições brasileiras. Atualmente os nutricionistas brasileiros faz uso de dados e programas de formulação de rações de instituições estrangeiras, demonstrando uma carência de pesquisas nessa área no país. O estudo das exigências proteicas para bovinos de corte é importante, pois o suprimento de quantidades adequadas de proteina degradável no rumen (PDR) e proteina não degradável no rumen (PNDR) é necessário para promover o ótimo crescimento da microbiota ruminal e para ter um perfil adequado de proteína metabolizável, que supra as exigências dos animais para mantença e ganho de peso que não foi atingido pela proteína de origem microbiana. Quando são utilizadas proporções altas de PDR para animais jovens, abaixo de 350 kg de PV, o seu desempenho torna-se limitado pela falta de um perfil adequado de proteina metabolizável (PM). É possível substituir a proteina verdadeira pelo nitrogênio não protéico (NNP) em dietas para bovinos de corte acima de 350 kg PV, pois a partir desse peso a velocidade de crescimento dos animais diminui e somente os microrganismos ruminais são capazes de suprir as necessidades de PM pela conversão do NNP em proteína microbiana de alto valor biológico. Sabendo disso, pode-se optar por fontes de PDR mais baratas e que vão proporcionar desempenhos satisfatórios, além de diminuição dos custos de produção. 

References

Alves DD. Nutrição Aminoacídica de Bovinos. Revista Brasileira de Agrociências, Pelotas, v.10, n. 3, p. 265-271, 2004.

Azevedo EB et al. Incorporação de ureia encapsulada em suplementos protéicos fornecidos para novilhos alimentados com feno de baixa qualidade. Ciência Rural, Santa Maria, v.38, n. 5, p. 1381-1387, 2008.

Berchielli TT et al. Técnicas de avaliação de consumo em ruminantes: Estado da arte. In: RENNÓ, F.P.; SILVA, L.F.P. (Eds.) Simpósio Internacional Avanços em Técnicas de Pesquisa em Nutrição de Ruminantes, Pirassununga, 2007, Anais... Pirassununga, 2007. p. 305-341.

Cacareto R. Fontes de nitrogênio, níveis de forragem e métodos de processamento de milho em rações para tourinhos da raça Nelore terminados em confinamento. 2011. 104 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011.

Carpenter KJ. A Short History of Nutritional Science : Part 1, Journal of Nutrition, Philadelphia, v, 133, p, 638–645, 2003.

Clarindo RL et al. Avaliação de fontes energéticas e protéicas na dieta de bovinos confinados em fase de terminação. Ciência Animal Brasileira, v. 9, n.4, p. 902-910, 2008.

Fernandes JJR et al. Farelo de soja em substituição à ureia em dietas para bovinos de corte em crescimento. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 373-378, 2009.

Fox DG et al. A net carbohydrate and protein system for evaluating cattle diets. III. Cattle requirements and diets adequacy. Journal of Animal Science, v.70, n.11, p.3578-3596, 1992.

Gabarra PR et al. Fontes protéicas e energéticas com diferentes degradabilidades ruminais para novilhos de corte. Acta Scientiarum. Animal Sciences, Maringá, v. 29, n. 2, p. 195-202, 2007.

Kozloski GV. Bioquímica dos ruminantes. 2.ed. – Santa Maria: Ed. da UFSM, 2009, 216 p.

Lehninger A L et al. Princípios de bioquímica. Traduzido por SIMÕES, A. A. e LODI, W. R. N., 3. edição, São Paulo, 2002. Tradução de: Principles of biochemistry. 2002, 998 p.

Macitelli F et al. Desempenho e rendimento de carcaça de bovinos mestiços alimentados com diferentes volumosos e fontes protéicas. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.36, n.6, p.1917-1926, 2007.

Marcondes MI et al. Exigências nutricionais de proteína para bovinos de corte. In: Exigências Nutricionais de Zebuínos Puros e Cruzados BR CORTE, 2ª ed, Viçosa: Sebastião de Campos Valadares Filho, Marcos Inácio Marcondes, Mário Luiz Chizzotti, Pedro Veiga Rodrigues Paulino, 2010, p. 113-133, 2010.

National Research Council- NRC. Nutrient requirements beef cattle. 7 rev. ed. National Academic Press, Washington, D.C.: 2000. 248 p.

Pina DS et al. Degradação ruminal da proteína dos alimentos e síntese de proteína microbiana. In: Exigências Nutricionais de Zebuínos Puros e Cruzados BR CORTE, 2ª ed, Viçosa: Sebastião de Campos Valadares Filho, Marcos Inácio Marcondes, Mário Luiz Chizzotti, Pedro Veiga Rodrigues Paulino, 2010, p. 13-46.

Rossi Junior P et al. Disponibilidade e absorção de aminoácidos em bovinos alimentados com diferentes fontes de compostos nitrogenados. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.36, n.4, p.960-967, 2007.

Santos FAP, Mendonça AP. Metabolismo de proteínas. In: Nutrição de Ruminantes, 2ª ed, Jaboticabal: Telma Teresinha Berchielli, Alexandere Vaz Pires e Simone Gisele de Oliveira, 2011, cap 9, p. 265-297, 2011.

Silva FF. et al. Exigências líquidas de aminoácidos para ganho de peso de nelores não castrados. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa v.31, n.2, p.765-775, 2002.

Valadares Filho SC et al. CQBAL 3.0. Tabelas Brasileiras de Composição de Alimentos para Bovinos. Disponível em: www.ufv.br/cqbal. Acesso em: 19/03/2015.

Valadares Filho SC et al. Exigências nutricionais de zebuínos e tabelas de composição de alimentos BR-CORTE. Viçosa:UFV, DZO, 1ªed., 2010, (142p.)

Véras RML. et al. Níveis de concentrado na dieta de bovinos Nelore de três condições sexuais: consumo, digestibilidades total e parcial, produção microbiana e parâmetros ruminais. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa v. 37, n. 5, p. 951-960, 2008.

Veras RML. Consumo, digestibilidade total e parcial, produção microbiana e exigências de proteína para mantença de bovinos Nelore. 2006. 115 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2006.

Published

2018-03-18

How to Cite

Guimarães, T. P. (2018). Exigências Proteicas para bovinos de corte. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(1), 90-99. https://doi.org/10.33837/msj.v1i1.43

Issue

Section

Agricultural Sciences