Prevenção ao uso de drogas entre escolares: ações para a conscientização

Carolina de Fátima Guimarães, Luciana Aparecida Siqueira Silva

Abstract


Atualmente, o uso e o abuso de drogas têm sido considerados uma das principais preocupações da sociedade, especialmente devido ao número de usuários jovens. Em 2010, o levantamento realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre drogas Psicotrópicas identificou que 25,5% dos estudantes da educação básica entrevistados em todos os estados brasileiros já se drogaram, sendo que 10,4 % estavam com idade entre 10 e 12 anos. Como as drogas estão presentes entre os escolares, o ambiente educacional torna-se um espaço privilegiado para atividades preventivas. Assim, desenvolveu-se um programa de prevenção de drogas numa escola estadual goiana, direcionado a alunos que do ensino fundamental (9º ano). Dentre as atividades, houve ações com vistas à conscientização. Buscando uma maior efetividade, decidiu-se considerar o conhecimento prévio e as dúvidas dos alunos. Para isto, foi solicitado aos alunos que escrevessem, anonimamente, suas dúvidas e/ou curiosidades quanto ao tema drogas e depositassem em uma caixa disponibilizada no corredor da escola durante uma semana. Essas perguntas basearam a elaboração de um bate-papo com os alunos, onde as respostas estariam presentes ao longo da conversa. Frente ao que os alunos escreveram, identificou-se um elevado número de questões do tipo: “o que eu faço para não usar drogas” ou então “o que eu faço para que meu amigo pare de usar drogas”. Com isso, verifica-se que os alunos se interessam por aspectos ligados a prevenção do uso de drogas e acreditam que as pessoas envolvidas com a escola podem contribuir. Durante o bate-papo os alunos se mostraram interessados e participaram a todo o momento. Tal fato pode ter relação com o fato da conversa ter sido baseada nas perguntas feitas. Essa ação realizada está de acordo com a literatura que aponta que o sujeito precisa entender ao máximo sobre o tema drogas, sendo a conscientização uma primeira etapa para uma efetiva prevenção, pois é a partir daí que o indivíduo entende a sua importância e tem a certeza de que é possível se prevenir. Sabe-se que outras etapas devem ser realizadas, como o oferecimento de alternativas, a educação para a saúde e treinamento de habilidades para a vida.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i11.550

Refbacks

  • There are currently no refbacks.

Comments on this article

View all comments




Copyright (c) 2018 Carolina de Fátima Guimarães, Luciana Aparecida Siqueira Silva

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexed in:

          

A publication of the "Diretoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação", IFGoiano - Campus Urutaí

 

  

 Licença Creative Commons

License: Creative Commons - Attribution 4.0 International.