Desvendando a sétima arte no âmbito científico: experiência vivenciada por bolsistas do subprojeto PIBID/Biologia do Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí

Authors

  • Natália Aparecida Campos et al. Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí (GO, Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i11.554

Abstract

A sétima arte, assim denominada ao cinema pelo crítico cinematográfico Ricciotto Canuto em 1911 na obra Manifesto das Sete Artes, ainda movimenta o dia a dia de inúmeros jovens na sociedade, viabilizando a formação crítica de princípios vivenciados. Seu uso em âmbito educacional já foi bastante habitual, porém, o conhecimento no backstage é muito pouco afamado levando em consideração que seu uso não se encaixa a esse meio. Partindo desse pressuposto, bolsistas do PIBID/Biologia do Instituto Federal Goiano Câmpus Urutaí, juntamente com professores do Ensino Médio Técnico da instituição, levaram à II Mostra de Ciências e Artes do IF Goiano, a alternativa de Desvendar a Sétima Arte juntamente os discentes matriculados. Dois alunos do primeiro ano do curso técnico em informática, ambos com 16 anos, orientados pelos bolsistas, desenvolveram a atividade através de pesquisas e leituras. A II Mostra de Ciências e Artes do IF Goiano – Câmpus Urutaí ocorreu em novembro de 2014 no período matutino, com a participação de todos alunos matriculados na instituição e demais subprojetos do PIBID/CAPES. Foi utilizado pelos alunos uma banca de apresentação, onde foram expostas capas de filmes com triunfo nas telas, despertando o interesse dos visitantes. Em seguida eram enfatizadas informações, aspectos básicos e instigado o interesse sobre o funcionamento básico para se produzir imagens móveis, introduzindo então ao desvendamento da mesma. Para exemplificar, foi produzido pelos alunos, um experimento simples chamado de Caixa Preta, onde foram utilizados uma caixa de papelão grande, TNT preto, estilete e uma folha chamex A4 branca. Com o mesmo, é possível visualizar o reflexo de uma imagem qualquer sendo projetada no interior da caixa por um orifício feito a 30 cm da borda superior atingindo o aparato de chamex, tal resultado, é cientificamente explicado pelos princípios da ótica geométrica onde os raios de luz se propagam em linha reta, formando então uma imagem invertida. Portanto, alguns participantes ditaram a experiência como realista, enquanto outros encontraram dificuldades em visualizar imagens no aparato, porém ambos relevaram a surpresa em perceber a ciência presente no Backstage da arte.

Published

2018-02-04

How to Cite

Campos et al., N. A. (2018). Desvendando a sétima arte no âmbito científico: experiência vivenciada por bolsistas do subprojeto PIBID/Biologia do Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(11), 10. https://doi.org/10.33837/msj.v1i11.554