Risco Ambiental Urbano : consequência do descarte irregular de resíduos sólidos urbanos na cidade de Pires do Rio (Go)

paulo jean pereira alves

Abstract


Este artigo tem como temática os Resíduos Sólidos Urbanos (RSUs) e considerações a respeito de determinados riscos ambientais perceptíveis que os resíduos sólidos potencializam em fragmentos do ambiente urbano. A criação das cidades e a crescente ampliação das áreas urbanas têm contribuído para o aumento de RSUs e como consequência os riscos ambientais urbanos, objetivando diagnosticar áreas de riscos ambientais oriunda do descarte irregular de RSUs em bairros da cidade de Pires do Rio(GO).


Keywords


cidades, riscos ambientais, descarte irregular

References


ABRAMOVAY, A.; SPERANZA, J.S.; PETITGAND, C. RSUs zero: gestão de RSUs para uma sociedade mais próspera. São Paulo: Planeta sustentável: Instituto Ethos, 2013. 77P.

ANDREOLI, C.V.; ANDREOLI, F.N.; TRINDADE, T.V.; HOPPEN, C. RSUs sólidos: Origem, classificação e soluções para destinação final adequada. Coleção Agrinho, n.532, 2014. 22p.

BENJAMIN, A.H. O meio ambiente na constituição federal de 1988. Informativo Jurídico da Biblioteca Ministro Oscar Saraiva, v.19, n.1, 2008.

BRAGA, M.C.B.; DIAS, N.C. Gestão de RSUs sólidos urbanos. Curitiba, v.1, 2008.40p.

Brasil. Programa de Modernização do Setor Saneamento (PMSS). Instrumentos das políticas e da gestão dos serviços públicos de saneamento básico. Brasília : Ministério das Cidades e

Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, v.1, (Lei Nacional de Saneamento Básico: perspectivas para as políticas e gestão dos serviços públicos), 2009. 239p.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de Agosto de 2010. Institui a Política Nacional de RSUs Sólidos; altera a Lei 9605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Brasil. Lei nº 9.605, de 12 de Fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências.

BRASIL. Ministério das Cidades. RSUs Sólidos: plano de gestão integrada de RSUs sólidos: guia do profissional em treinamento. Salvador: Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental,

ReCESA, 2008. 76 p.

BRASIL. Política nacional de RSUs sólidos,(Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010). Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, Política nacional de RSUs sólidos, 2 ed., Série legislação,

n. 81, 2012. 73 p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. 2013. Disponivel em:

http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/producao-e-consumo-sustentavel/separeo-

RSUs-e-acerte-na-lata. Acesso em : 08 de Dezembro de 2016.

CALDERONI, S.Os bilhões perdidos no RSUs. São Paulo: Humanistas, 2 ed. 1998.

CARDOSO, W.H. A efetivação da politica nacional de RSUs sólidos (Lei n.12.305/2010) no estado de Rondônia. Cacoal/RO: UNIR, (Dissertação de graduação), 2015. 59f.

CARDOZO, M.C.; LIEBER, R.R.; DUTRA, C.A.M.; BALESTIERI, J.A.P. Medidas de segurança em veículos para coleta de RSUs urbano: Condições para manobra em ré. IN: XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção: Porto Alegre, RS, Brasil, 2005. 8p.

CONAMA. Tratamento e a Disposição Final dos RSUs de Serviços de Saúde. Conselho Nacional De Meio Ambiente , Resolução 358, de 29 de abril de 2005, Diário Oficial da União, 2005.

GOUVEIA, N. RSUs sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão socil. Scielo, v.17, n.6, 2014.8p.

IBAM. Mecanismo de desenvolvimento limpo aplicado a RSUs sólidos: Gestão integrada de RSUs sólidos. IBAM: Ministerio do Meio Ambiente, 2007.44p.

IBGE. Pesquisa nacional de saneamento basico. IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatitisca, 2000. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv45.pdf. Acesso

em : 07 de Dezembro de 2016.

IBGE. Cidades. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. 2015. Disponível em: www.cidades.ibge.gov.br/xtras/home.php. Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

LEI COMPLEMENTAR N° 95, DE 11 DE SETEMBRO DE 2014. A taxa de coleta de RSUs sólidos, extingue taxas municipais. Câmera municipal de Curvelo, 2014. 4p. Disponível em:

http://curvelo.mg.gov.br/site/wp-content/uploads/2014/08/LC-95.14.pdf. Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

LEI N. 2.618, DE 19 DE MARÇO DE 2010. Programa Cidade Limpa, no Munícipio de Morrinhos. Câmera municipal de Morrinhos, 164° de fundação e 127° de emacipaçãp, 2010. 3p.

LEI N. 2.945, DE MARÇO DE 2013. Destino dos RSUs de poda e corte de árvores em áreas públicas do município de Morrinhos. Câmera municipal de Morrinhos,167° de fundação e 130°

de emancipação, 2013. 2p.

LEI N° 3.088, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Cooperativa de trabalho dos catadores de material reciclável de Morrinhos – COOPER MORRINHOS. Câmera municipal de Morrinhos,

° de fundação e 132° de emacipaçãp, 2014. 2p.

MANSUR, G.L.; MONTEIRO, J.H.R.P. Cartilha de limpeza urbana. CPU: Centro de Estudos e Pesquisas Urbanas do IBAM, convênio com a Secretaria Nacional de Saneamento - SNS - do

Ministério da Ação Social – MAS, 2016.81p.

MMA. Gestão de RSUs: Política Nacional de RSUs Sólidos. MMA: Ministério do Meio Ambiente, 2016. Disponível em: http://www.mma.gov.br/responsabilidadesocioambiental/

a3p/eixos-tematicos/gest%C3%A3o-adequada-dos-res%C3%ADduos. Acesso em:

de Dezembro de 2016.

MMA. RSUs: Um grave problema no mundo moderno. MMA: Ministério do Meio Ambiente, 2016. 22p.

MMA. Plano nacional de RSUs sólidos. MMA: Ministério do Meio Ambiente, Brasília, 2012. 18p.

MONTEIRO, J. H. P. Manual de Gerenciamento Integrado de RSUs sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001. Disponível em: http://www.resol.com.br/cartilha4/manual.pdf. Acesso em : 07 de

Dezembro de 2016.

MONTEIRO, J.H.P.; ZVEIBIL, V.Z. Manual de Gerenciamento Integrado de RSUs sólidos. Rio de Janeiro:IBAM, 2011.200p.

MPPR e SEMA-PR. Centro de Triagem e Compostagem de RSUs Sólidos Urbanos. Curitiba:

Ministério Público Do Estado Do Paraná e Secretário Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Caderno de Especificações Técnicas e Desenho Técnico, 2ª Ed., 2013. 58p.

PERS. Plano Estadual de RSUs Sólidos: Projeto de destinação final de RSUs sólidos para a região Metropolitana e Municipal djacntes Fase II. : Goiânia: Estado de Goiás, 2016. 52p.

Disponível em: ttp://www.secima.go.gov.br/post/ver/200725/plano-estadual-de-residuos-solidos . Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

PERS/CE. Plano Estadual De RSUs Sólidos Do Estado Do Ceará: Mecanismos de Cobrança dos Serviços de Limpeza Pública e Manejo de RSUs Sólidos. CONPAM: Estado do Ceará, n. 38,

55p.

PINTO, T.P. Metodologia para a gestão diferenciada de RSUs sólidos da construção urbana. São Paulo: USP (Tese de doutorado)1999.189p.

PIRES, S.H. Manual de Gestão de RSUs Sólidos. Eletrobrás: Produto 8 – Versão Final, Brasília, 2015. 78p.

PLANALTO. Decreto N° 7.405, De 23 De Dezembro De 2010. Brasília: Previdência da república, 2010. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-

/2010/decreto/d7405.htm. Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

PLANALTO. Lei Nº 12.527, De 18 De Novembro De 2011. Brasília: Previdência da república, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm. Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

PLANALTO. Lei N o 9.795, De 27 De Abril De 1999 . Brasília: Previdência da república, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm. Acesso em: 20 de Dezembro de 2016.

PNRS. Plano Nacional de RSUs Sólidos. PNRS: Governo Federal, Ministério Do Meio Ambiente, 2011. 109p.

POLAZ, C.N.M.; TEIXEIRA, B.A.N. Indicadores de sustentabilidade para a gestão municipal de RSUs sólidos urbanos: um estudo para São Carlos (SP). Eng Sanit Ambient, v.14, n.3, p.411-

, 2009.

SILVEIRA, R.M.C.; GERMANO, R.M. As inovações da politica nacional de RSUs sólidos e a responsabilidade civil pós-consumo. Revista Eletrônica: Natal, v.1, n.04, 2011.9p.

SIQUEIRA, M.M.; MORAES, M.S. Saúde coletiva, RSUs sólidos urbanos e os catadores de RSUs. Ciênc. Saúde coletiva: Rio de Janeiro, v.14,n.6, 2009.9p.

SISNEA. Sistema Nacional de educação ambiental. MMA: Ministério do Meio Ambiente,2016. 26p.

TADA, A.M.; ALMEIDA, A.M.G.; KIMURA, W. RSUs sólidos urbanos: Aterro sustentável para Município de Pequeno Porte. Ed. Rima Artes e Textos: São Paulo, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v1i13.580

Refbacks

  • There are currently no refbacks.

Comments on this article