QUALIDADE DE PÁGINAS BRASILEIRAS DA INTERNET QUE DISPONIBILIZAM INFORMAÇÕES SOBRE MICOSES HUMANAS

Randys Caldeira Gonçalves, Gabriel Tristão, Edilânia Chaves, André Moreira, Leandro Assunção, Davi Lima, Guilherme Malafaia

Resumo


Considerando que no Brasil não há mecanismos de controle sobre os critérios técnicos de qualidade das páginas da internet que divulgam informações sobre saúde e/ou doenças, é importante que estudos sejam desenvolvidos, visando avaliar a qualidade técnica dessas páginas. Nesse sentido, o presente estudo objetivou avaliar a qualidade das informações técnicas de websites brasileiros que divulgam informações a respeito das principais micoses humanas. Após ampla busca no Google, foram selecionados 132 websites de escopo informativo para a análise. Foram avaliados nos websites aspectos relacionados à: “autoria”, “formação técnica do autor do website”, “qualificação/titulação do autor”, “apresentação de datas de criação e atualização do website”, “serviços de comunicação com o usuário”, “lista de referências”, “elementos gráficos”, “espaço publicitário” e “ferramenta de busca dos conteúdos internos”. Os resultados obtidos revelam que, grande parte dos websites avaliados não oferecem os padrões de qualidade técnica fundamentais para a disseminação da informação. A autoria das informações sobre micoses humanas foi identificada em apenas 42% dos websites, a atuação profissional dos autores em 19%; a constatação de que as informações presentes nos websites são fornecidas por profissionais qualificados na área da saúde em 22%; a data da publicação ou última atualização das informações disponíveis na rede em 47%; serviços de comunicação com os usuários presente em 45%; citação de fontes bibliográficas em apenas 23% e a presença de imagens ou figuras que facilitam a compreensão das informações em apenas 36%. Portanto, considera-se preeminente e necessário o aperfeiçoamento da qualidade técnica dos websites que informam sobre micoses humanas, uma vez que, as infecções fúngicas são muito prevalentes no Brasil.


Palavras-chave


: internet, informações médicas e qualidade técnica.

Texto completo:

PDF

Referências


Azer, S. A. (2014). Evaluation of gastroenterology and hepatology articles on Wikipedia: are they suitable as learning resources for medical students? European Journal of Gastroenterology & Hepatology, 26(2),155-63.

Bernard, A., Morgan, L., Stephanie, H., Caren, R., Desmond, L., Sander, V. A. (2007). Systematic Review of patient inflammatory bowel disease information resources on the world wide web. American Journal of Gastroenterology, 102(9), 2070-7.

Broom A. (2005). Virtually he@lthy: the impact of internet use on disease experience and the doctor-patient relationship. Qual Health Res, 15(3), 325-45.

Cabello Úbeda, A., Fortes Alen, J., Gadea, I., Mahillo. I, Górgolas, M., Fernández Guerrero, M. L. Cryptococcal meningoencephalitis. Epidemiology and mortality risk factors in pre- and post-HAART era. Med Clin (Barc), 146(9), 397-401.

Chang, M. Y., Han, D. H., Moon, I. J., Kim, S.T., Kim, D. Y., Lee, C. H. (2010). Assessment of allergic rhinitis websitios in Korea. Clin Exp Otorhinolaryngol,3(1), 32-6.

Cubas, M. R., Felchner, P. C. Z. (2012). Análise das fontes de informação sobre os autoexames da mama disponíveis na Internet. Ciênc. saúde coletiva, 17(4), 965-70.

Cubas, M. R., Felchner, P. C. Z. (2012). Análise das fontes de informação sobre os autoexames da mama disponíveis na Internet. Ciênc. saúde coletiva, 17 (4), 965-970.

Dias, D. F., Veiga, B. G. A., Castro, A. L. S., Rodrigues, S. L., Malafaia, G. (2011). Poluição das águas disponíveis em websites brasileiros: conteúdo com qualidade? Revista da Biologia, 8B: 4-10.

Eysenbach, G., Jadad, A. R. (2001). Evidence-based patient choice and consumer health informatics in the Internet age. Journal of medical Internet research, 3(2).

Ferreira, W., Sousa, J. (2000). Microbiologia (volume 2) LIDEL: Lisboa.

Fisher, M. C., Gow, N. A., Gurr, S. J. (2016). Tackling emerging fungal threats to animal health, food security and ecosystem resilience. Philos Trans R Soc Lond B Biol, 5;371(1709).

Garbin, H. B. R., Pereira Neto, A. F. P., Guilam, M. C. R. (2008). A internet, o paciente expert e a prática médica: uma análise bibliográfica. Interface Comunicão Saúde Educão, 12(26), 579-588.

Griffiths, K. M., Christensen, H. The quality and accessibility of Australian depression sites on the World Wide Web. Medical Journal of Australia. 2002;176(10):97.

Hay, R J. 2006. Fungal infections. Clin Dermatol 24: 201-212, 2006

Kyriakidis, I., Tragiannidis, A., Munchen, S., Groll, A. H. (2017). Clinical hepatotoxicity associated with antifungal agents. Expert Opinion on Drug Safety, 16(2),149-165.

Laplante-Lévesque, A., Brännström, K. J., Andersson, G., Lunner, T. (2012). Quality and readability of English-language internet information for adults with hearing impairment and their significant others. International Journal of Audiology, 55(8), 1-9.

Lima, T. H., Menezes, I. P. P., Malafaia, G. (2016). As informações sobre dengue disponíveis em websites brasileiros são de qualidade e confiáveis? ABCS Health Sci, 41(3), 188-196.

Malafaia, G., Rodrigues A. S. L. (2009). Uma análise das informações sore a leishmaniose tegumentar disponível em websites brasileiros. Saúde & Ambiente em Revista,4(1), 28-35

Martins, E., Morse, L. Evaluation of internet websites about retinopathy of prematurity patient education. Br J Ophthalmol. 2005;89:265–285

Meireles, M. C. A., Nascente, P. S. (2009). Micologia Veterinária, Ed. Universitária UFPEL, Pelotas, p.456.

Murray, P., Rosenthal, K. Pfealler, M. (2006). Microbiologia Médica (5ª Ed) Elsevier.

Park, H. W., Min, K. U., Kim, Y. Y., Cho, S. H. (2004). Assessing the quality and contents of asthma-related information on the korean internet as an educational material for patients. Journal of Korean Medical Science,19(3): 364–368.

Patel, M. H., Patel, R. D., Vanikar, A. V., Kanodia, K. V., Suthar, K. S., Nigam, L. K., Patel, H. V., Patel, A. H., Kute, V. B., Trivedi, H. L. (2017). Invasive fungal infections in renal transplant patients: a single center study. Ren Fail, 39(1), 294-298.

Santana, S., Pereira, A. S. (2007). Da utilização da internet para questões de saúde e doença em Portugal: Possíveis Repercussões na Relação Médico-Doente? Acta Médica Portuguesa, Lisboa, 20(1), 47-57.

Shahrzadi, L., Shahin, M., Sima J., Behjat, T., Hasan A., Zeinab S., Razieh Z. (2014). Quality Assessment of Persian Mental Disorders Websites Using the Webmedqual Scale. Acta Inform Med, 22(3): 183-188.

Siddhanamatha, H. R., Heung, E., Lopez-Olivo, M. L. A., Abdel-Wahab, N., Ojeda-Prias, A., Willcockson, I., Leong, A., Suarez-Almazor, M. E. (2017). Quality assessment of websites providing educational content for patients with rheumatoid arthritis. Semin Arthritis Rheum, 46(6), 715-723.

Silva, E. V., Castro, L. L. C., Cymrot, R. (2008). Tratamento farmacológico da obesidade em páginas da Internet brasileira: análise dos Critérios Técnicos de Qualidade. Rev Ciênc Farm Básica Apl, 29(2),159-65.

Silva, L. V. E. R., Mello Júnior, J. F., Mion, O. (2005). Avaliação das informações sobre rinite alérgica em sites brasileiros na rede mundial de computadores (Internet). Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, 71(5):590-7. 15.

Silveira, P. C. M., Costa, A. E. S, Lima, C. C. (2012). Gagueira na web: qualidade da informação. Rev. CEFAC, 14(3), 430-437

Silver, M. P. (2015). Patient perspectives on online health information and communication with doctors: a qualitative study of patients 50 years old and over. Journal of Medical Internet Research, 17(1).

Siqueira, J. O., Lambais, M. R., Stürmer, S. L. (2002). Fungos micorrízicos arbusculares - caracteristicas, associação simbiótica e aplicação na agricultura. Biotecnologia ciência & desenvolvimento, 25, 12-21.

Soobrah, R., Clark, S. K. (2012). Your patient information website: how good is it? Colorectal Dis,14(3), 90-4.

Soobrah, R., Clark, S. K. (20120. Your patient information website: how good is it? Colorectal Dis, 14(3), 90-4.

Tan, S. S., Goonawardene, N. (2017). Internet Health Information Seeking and the Patient-Physician Relationship: A Systematic Review. J Med Internet Resv,19(1).

Taylor, K. L., Hoffman, R. M., Davis, K. M. et al.

Taylor, K. L., Hoffman, R. M., Davis, K. M., Luta, G., Leimpeter, A., Lobo, T., Kelly, S. P., Shan, J., Aaronson, D., Tomko, C. A., Starosta, A. J., Hagerman, C. J., Van Den Eeden, S. K. (2016). Treatment preferences for active surveillance versus active treatment among men with low-risk prostate cancer. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev, 25(8), 1240-50.

Ulett, K. B., Cockburn, J. W., Jeffree, R., Woods, M. L. (2017). Cerebral cryptococcoma mimicking glioblastoma. BMJ Case Reports, 10.

Vasconcelos, A. C. G., Machado, M. S., Machado, S. O., Honda, T. S. B., Silva, F. R., Vasconcelos, D. F. P. (2015). Avaliação das informações sobre síndrome de Down na internet brasileira. J. Health Inform, 7(3), 88-93

Wasserman, M., Baxter, N. N., Rosen, B., Burnstein, M., Halverson, A. L. (2014). Systematic review of internet patient information on colorectal cancer surgery. Dis Colon Rectum, 57(1):64-9.

Westin, U. M., Zem-Mascarenhas, S. H. (2014). Infodemiologia: análise das informações sobre doação e transplante de órgãos. Ciênc Cuid Saúde,13(2), 381-7.




DOI: http://dx.doi.org/10.33837/msj.v2i1.633

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo