Relationship of the firm with plant organ with aggressiveness oh Phytophthora capsici

Authors

  • Milton Luiz da Paz-Lima Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí Laboratório de Fitopatologia e Microbiologia Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i2.64

Abstract

Resumo - The aim of this work was to relate the susceptibility of fruits, roots and stems of vegetables infected by P. capsici to the firmness of the pulp. The treatments were represented by 18 genotypes (carrot, papaya, chayote, apple, sweet pepper, kaki, sweet potato, gherkim, melon, tomato, Solanum gilo, potato; two genotypes of cucumber and three genotypes of pumpkim), in three replications in a delineation completely randomized designed, resulting 18*3 experimental units (EU). At the first day, with the support of a probing (tip 5 mm), the firmness of the fruits were evaluated. After that stabs of micelium of 5 mm of diameter (Pcp 42, sweet pepper) were inoculated in the wound provoked by the probing (early measured). During 7 days after the inoculating, the lesion length was evaluated, allowing the calculation of the area under the lesion progress curve (AUCPL). The incubation period was also estimated (between the inoculation and the emergence of the symptoms) and determinated the isolated pathogenicity to the genotypes in study. Cucumber (conserve and green), eggplant and sweet pepper had had the highest averages of ABCIP (F17,36=28,76**), differing statistically from the other. Tomato, gala apple and pepper had had the lowest scores of firmness (F17,36=46,81**), also differing statistically from the other. The relationship among the values of firmness and AUCPL demonstrated that as the fruit’s firmness increases the susceptibility reduces in up to 58 % (r**=-0,5796). That is the first work the relates firmness of fruits to susceptibility of P. capsici in Brazil.

Author Biography

Milton Luiz da Paz-Lima, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí Laboratório de Fitopatologia e Microbiologia Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná (1999) e mestrado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília (2002), concluiu o doutorado em 2006 no programa de pós-graduação em Fitopatologia também pela Universidade de Brasília, no primeiro semestre de 2009 finalizou o pós-doutorado na área de fitopatologia Molecular e atualmente é professor dedicação exclusiva do Instituto Federal Goiano. Possue experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitopatologia, atuando principalmente nos seguintes temas: micologia, ocorrência, identificação, etiologia, diagnose, epidemiologia, resistência de plantas a doenças, controle de doenças e caracterização de fitopatógenos.

References

ANDRIVON, D. (1993) Nomenclature for pathogenicity and virulence: the need for precision. Phytopathology 83(9):, p. 889-890.

AGRIOS, G.N. Plant pathology. 4a Ed., Academic Press. 1997. 606p.

BERGAMIN FILHO, A.B.; KIMATI, H.; AMORIM, L. (1995) Manual de Fitopatologia. 3ª ed. São Paulo: Agronômica Ceres.

BLUM, L.E.B. (2002) Doenças de Plantas: Conceitos Básicos. Florianópolis: UDESC,. p.195.

CALBO, A. G. & MORETTI, C.L. Penetrômetro a gás para avaliação da firmeza de frutos. Disponível em: <http://www.cnph.embrapa.br/laborato/pos_colheita/penetrometro.htm> acessado em: 06/05/2007.

CENARGEN Centro Nacional de Pesquisa e recursos genéticos. Disponível em:, consultado em 07/05/2007.

DONADIO, L.C., NACHTIGAL, J.C. & SACRAMENTO, C.K. (1998) Frutas exóticas. Jaboticabal: Funep, p.279.

FILGUEIRA, F.A.R. (1982) Manual de Olericultura: cultura e comercialização de hortaliças. 2ªed. São Paulo: Agronômica CERES,. p.357.

FILGUEIRA, F.A.R. (2003) Novo manual de Olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 2ªed. Viçosa: UFV, 2003. p.412.

FONTES, P.C.R. (2005) Olericultura: Teoria e prática. Viçosa: UFV,. p.486.

GOLÇALVES, R.C. Controle ou manejo de doenças de plantas? Disponível em: <http://www.cpafac.embrapa.br/chefias/cna/artigos/control_fito_29_6.htm> acessado em 16 de março de 2007.

HENZ, G.P. & LIMA, M.F. Resistência de plântulas de cultivares de cucurbitáceas à podridão-das-raízes causada por Phytophthora capsici. 1997. Disponível em: <http://atlas.sct.embrapa.br/pab/pab.nsf/0/345ff315307460a98325668700733f4c/$FILE/pab403_96.doc> acessado em: 09/05/2007.

INDEX FUNGORUM. Disponível em:<http://www.speciesfungorum.org/Names/Names.asp> consultado em 01 de junho de 2007.

KIMATI, H., AMORIN, L., REZENDE, J.A.M., BERGAMIN FILHO, A., CAMARGO, L.E.A. (Eds.) (2005) Manual de Fitopatologia: Doenças de plantas cultivadas. 3ªed. São Paulo: Agronômica Ceres.

KUROZAWA, C. & PAVAN, M.A. (1997ª) Doenças das curcubitáceas. In: KIMATI, H. et al. (editores). Manual de Fitopatologia: Doenças de plantas cultivadas. 3ªed. São Paulo: Agronômica Ceres, p. 325-337.

KUROZAWA, C. & PAVAN, M.A. (1997b) Doenças das solanáceas. In: KIMATI, H. et al. (editores). Manual de Fitopatologia: Doenças de plantas cultivadas. 3ªed. São Paulo: Agronômica Ceres, p. 665-675.

LOPES, J.F. & BRUNE, S. Resistência de germoplasma de abóbora e moranga a Phytophthora capsici. P.A. Nº 27, outubro de 1999. p.1-5 Disponível em: <http://www.cnph.embrapa.br/pa/pa_27.doc>, acessado em: 06/05/2007.

LUSTOSA, C. (2006) Agressividade e patogenicidade de P. capsici em frutos, raízes e caules de plantas pertencentes a diferentes famílias botânicas. Trabalho de Conclusão de Curso. Faculdade JK, Taguatinga, DF.

LUSTOSA, C.V.S.F., BRANDAO, G.O. & PAZ LIMA, M.L. (2007) Agressividade de Phytophthora capsici em raíz, caule e frutos plantas pertencentes a várias famílias botânicas. Summa Phytopathologica 33(suplemento):S32.

LUZ, E.D.M.N., CERQUEIRA, A. O., FALEIRO, F.G., DANTAS NETO, A., MATSUOKA, K., MARQUES, J.R.B. (2003) Diversidade genética de isolados de Phytophthora capsici de diferentes hospedeiros com base em marcadores RAPD, patogenicidade e morfologia. Fitopatologia Brasileira, 28(5):559-554.

MICHEREFF, S.J. Classificação de doenças de plantas. Disponível em: http://www.ufrpe.br/fitopatologia/teoricas/T05.pdf, acessado em: 08/05/2007.

MURAYAMA, S.J. (2002) Fruticultura. 2.ed. Campinas, Instituto Campineiro de Ensino Agrícola,. p. 428.

PAZ LIMA, M. L. (2006) Caracterização fenotípica e molecular de Phytophthora capsici de hortaliças e expressão e prospecção da resistência em Cucurbitaceae e Solanaceae. p. 222, Tese de Doutorado, – Universidade de Brasília, Brasília/DF.

REZENDE, J.A.M & FRANCELLI, M.I. (1997) Doenças do mamoeiro In: KIMATI, H. et al. (editores). Manual de Fitopatologia: Doenças de plantas cultivadas. 3ªed. São Paulo: Agronômica Ceres, p. 486-496.

SBML – Systematic of Botany Mycological Resources. Disponível em: , acessado em 06 de maio de 2007.

Downloads

Published

2018-03-18

How to Cite

Paz-Lima, M. L. da. (2018). Relationship of the firm with plant organ with aggressiveness oh Phytophthora capsici. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(2), 124-132. https://doi.org/10.33837/msj.v1i2.64

Issue

Section

Agricultural Sciences

Most read articles by the same author(s)