GASES DE EFEITO ESTUFA SOB FITOFISIONOMIAS DO CERRADO NO PARQUE NACIONAL DAS NASCENTES DO RIO PARNAÍBA – PNNRP

Authors

  • Tancio Gutier Ailan Costa Mestrando pela Universidade Federal do Ceará - Campus do Pici
  • Bruna de Freitas Iwata Professora do Curso de Tecnologia Tecnóloga em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Teresina Central
  • Juliana Vogado Coelho Mestranda em Ciência do Solo da UFPR, Curitiba-PR
  • Cristian Epifânio de Toledo Departamento de Agronomia, UEG – Universidade Estadual de Goiás, Campus Palmeira de Goiás, Go
  • Gleide Ellen dos Santos Clementino Estudante de Pós-graduação em Estudos Geoambientais e Licenciamento pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Corrente
  • Nayara Caroline Moreira Leopoldo Estudante de Pós-graduação em Estudos Geoambientais e Licenciamento pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí – Campus Corrente

DOI:

https://doi.org/10.33837/msj.v1i13.888

Keywords:

Efeito estufa. Dióxido de carbono. Estratos vegetais.

Abstract

As alterações climáticas têm colocado em evidência o papel dos ecossistemas terrestres em relação à mitigação das emissões e aumento dos níveis dos gases de efeito estufa lançados na atmosfera. Assim, o presente estudo teve por objetivo quantificar a taxa de emissão de CO2, CH4 e N2O do solo em diferentes fitofisionomias do bioma Cerrado presentes no Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba – PNNRP. Para esta avaliação foram delimitadas duas parcelas de 1 ha sob duas fitofisionomias do Cerrado (Sensu Stricto e Cerradão), as quais foram subdivididas em cinco subparcela equivalente a 0,2 ha. As medições foram realizadas por meio do Monitor Multigases – MX6 iBrid TM e seus dados trabalhadas por espacialização do comportamento dos gases para cada fitofisionomia e determinação do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI). À distribuição dos gases emitidos no Parque, apresentaram correlação direta com a disposição dos estratos vegetais das parcelas estudadas.  Em relação à taxa de emissão dos gases de efeito estufa, verificou-se uma maior emissão de N2O do solo para atmosfera, seguida por emissões de CO2 e CH4 respectivamente. Tanto a emissão de CO2 quanto N2O se mostraram significativas em termos de fitofisionomias, sendo a fitofisionomia de predominante emissão destes gases o Cerrado Sensu Stricto.  Enquanto as emissões de metano foram superiores na área sob estrato de Cerradão. Neste contexto, o PNNRP apresentou emissões significativas quanto aos gases de efeito estufa, embora seja decorrente de relações naturais existentes entre o sistema solo-planta-atmosfera em suas fitofisionomias.

Published

2018-11-11

How to Cite

Costa, T. G. A., Iwata, B. de F., Coelho, J. V., Toledo, C. E. de, Clementino, G. E. dos S., & Leopoldo, N. C. M. (2018). GASES DE EFEITO ESTUFA SOB FITOFISIONOMIAS DO CERRADO NO PARQUE NACIONAL DAS NASCENTES DO RIO PARNAÍBA – PNNRP. Multi-Science Journal (ISSN 2359-6902), 1(13), 378-383. https://doi.org/10.33837/msj.v1i13.888

Issue

Section

Technical Communications

Most read articles by the same author(s)