Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade

GTranslate

    pt    en    fr    es
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

0
0
0
s2sdefault
Publicado: Quarta, 17 de Junho de 2015, 14h48 | Última atualização em Terça, 02 de Mai de 2023, 10h09 | Acessos: 11828

Foi por meio do Decreto n° 13.197, de 25 de setembro de 1918, que se estabeleceu a Fazenda Modelo de Criação, uma propriedade que operava como um Centro de Criação de Raças Bovinas de elevado padrão zootécnico. A Fazenda Modelo teve êxito até os anos de 1930. Nos anos de 1940 a fazenda entrou em dificuldades financeiras, um deputado federal do município de Ipameri propôs a transformação da Fazenda em uma escola agrícola.

Benedito Vaz, apresentou na Câmara o Projeto nº 1.416/51, que propunha a transformação da Fazenda Modelo de Criação de Urutaí em uma Escola Agrícola. Em 28 de julho de 1953, o então presidente da República, Getúlio Vargas, sancionou a Lei nº 1.923 de 28 de julho de 1953, que criou a Escola Agrícola de Urutaí (EAU).

No entanto, somente em 1957 a escola começou a oferecer atividades educacionais - o curso de Operário Agrícola. Nessa época, a escola estava subordinada à Superintendência do Ensino Agrícola e Veterinário (SEAV), ligada diretamente ao Ministério da Agricultura.

Escola Agrícola de Urutaí ao expandir sua oferta passa oferecer o curso de mestre agrícola, passando a categoria de Ginásio Agrícola pelo Decreto nº 53.558 de 13 de fevereiro de 1964.

Por volta de 1973, a Coordenação Nacional do Ensino Agropecuário (COAGRI) passou a coordenar a instituição, seguindo o Decreto 72.434, de 9 de julho de 1973. Essa mudança resultou nas primeiras alterações na escola de acordo com as diretrizes da COAGRI, dentre elas o DECRETO Nº 83.935, DE 04 DE SETEMBRO DE 1979, do MEC/COAGRI, o Ginásio Agrícola de Urutaí passou a ser denominado Escola Agrotécnica Federal de Urutaí (EAFUR) e passou a oferecer o Curso Técnico em Agropecuária, a EAFUR conferiu os primeiros títulos de Técnico em Agropecuária em 1980.

O Curso Técnico em Processamento de Dados iniciou em 1995, como resultado de uma pesquisa de demanda para novos cursos na instituição. O curso foi oferecido no período noturno. O primeiro curso de nível superior, o Tecnólogo em Irrigação e Drenagem teve início em 1999, em 2002, a Escola Agrotécnica Federal de Urutaí foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET), através do Decreto Presidencial de 16 de agosto.

A Lei 11.892/08 muda não só a denominação da instituição, esta legislação possibilita a criação de bacharelados e licenciaturas. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano Campus Urutaí oferece os cursos (Confira Aqui). Na área de ensino médio e técnico, a instituição oferece cursos em diferentes modalidades, como integrado ao ensino médio, concomitante e subsequente (Confira Aqui). Além disso, a pós-graduação do Campus Urutaí oferece uma especialização em Ensino de Humanidades, bem como três mestrados profissionais, um em Conservação dos Recursos Naturais do Cerrado outro em Proteção de Plantas e um Mestrado em Ensino para a Educação Básica (Confira Aqui).

O IF Goiano Campus Urutaí conta também com o Programa Cão-Guia que tem o objetivo de formar novos Treinadores e Instrutores de cães-guia, bem como treinar e fornecer os animais como ferramenta de inclusão para pessoas cegas ou com baixa visão. Outro benefício a comunidade é a Equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo como “parceiro” de atendimento, isto é, emprega o cavalo como agente promotor de ganhos a níveis físico, psíquico e emocional. Tudo isso, dentro de uma bordagem interdisciplinar e multiprofissional englobando as áreas da saúde, educação e equitação.

Nesses setenta anos de história, o IF Goiano Campus Urutaí esteve sempre comprometido em oferecer um ensino de qualidade, tendo com testemunha de toda essa caminhada histórica, o castelinho.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página